Grupo terrorista Jundallah foi treinado pelo Mossad, com ajuda da CIA e MI6, para cometer atentados no Irã.

Agentes do Mossad –a agência de inteligência do estado sionista de Israel– recrutaram membros de um grupo de mercenários do Paquistão chamado Jundallah para realizar assassinatos e ataques contra o governo de Irã (pt Irão), segundo informou a revista Foreign Policy, que cita vários memorandos da CIA datados de 2007 e 2008.

O jornalista Mark Perry informou de que a operação do Mossad foi realizada entre esses dois anos, nos quais os agentes israelenses (pt, israelitas) realizaram o recrutamento de assassinos a soldo com a ajuda da CIA e do MI6, o serviço de inteligência britânico.

Jundallah é um grupo ativo desde 2005 que realizou vários ataques contra Irã (pt, Irão) e assassinou diversos membros do governo do país persa. Existem diversas evidências de que este grupo terrorista esteja ligado à al-Qaeda. Os membros utilizam a fronteira com Paquistão para entrar em Irã (pt, Irão) e cometer atentados. Segundo as informações, os processos de recrutamento tiveram lugar maioritariamente em Londres.

Em 14 de fevereiro de 2007 o referido grupo realizou um atentado na cidade de Zahedán, capital de Sistã e Baluchistã, em um autocarro do corpo do exército dos Guardas da Revolução, donde resultaram 11 civis mortos, que trabalhavam numa base do exército. Os explosivos encontravam-se dentro de um carro estacionado.

Jundallah

bandeira do Jundallah

 

Segundo as testemunhas citadas pela agência oficial de noticias iraniana, IRNA, uns homens armados dispararam desde duas motos contra o autocarro e quando este se deteve, ativaron a bomba. Horas depois o canal iraniano em língua árabe Al Alam mostrava imagens do autocarro destruído e as autoridades anunciavam a detenção de cinco presumíveis implicados. Um sexto faleceu no incidente, segundo informou o governador provincial Hasan Alí Nuri, depois de dar a conhecer o número de vítimas.

Em março de 2007, um comando de homens armados, de filiação desconhecida matou 22 pessoas e feriu outras sete, entre estas últimas o governador provincial Hasán Ali Nuri, num ataque contra um convoy oficial.

“Não há dúvida de que Estados Unidos e o MI6 têm cooperado com Israel em operações de Inteligência contra iranianos”, assegurou um funcionário norte-americano.

O governo norte-americano negou em reiteradas ocasiões qualquer vínculo com o grupo Jundallah.

Além destas operações do Mossad, o atual presidente, Barack Obama, tomou a decisão de aumentar o número de programas conjuntos contra Irã (pt, Irão), que se baseiam em embargos económicos, ameaças de guerra e uma ofensiva mediática para criminalizar Teerão.

Apesar das evidências, o Departamento de Estado norte-americano negou em reiteradas ocasiões qualquer vínculo com o grupo Jundallah.

Nem o MI6, nem a CIA, nem a Casa Branca, nem o Mossad comentaram as informações publicadas pelo Foreign Policy.

Fonte: Librered.net

Tradução: sionismo.net

, , , , ,

No comments yet.

Deixe uma resposta