Günter Grass, prémio Nobel da literatura, ataca Israel com versos.

O escritor alemão e galardoado com o prémio Nobel da Literatura Günter Grass qualificou o estado sionista de Israel como uma ameaça para a paz mundial num poema intitulado O que há que dizer.

“Não continuarei calado pois estou farto da hipocrisia do Ocidente”, diz um dos versos da obra de Günter Grass, publicado no diário alemão Süddeutsche Zeitung.

O escritor de 84 anos, distinguido com o Prémio Nobel da Literatura em 1999, apela para que a comunidade internacional não permita ataques militares contra Teerã (pt, Teerão) e controle as armas nucleares de Israel.

Igualmente condena a venda de submarinos alemães ao estado hebreu, uma vez que poderiam ser utilizados numa ofensiva contra Irã (pt, Irão).

Günter Grass em casa

Günter Grass sublinha que não pode permanecer em silêncio durante mais tempo sobre este tema tal como fazem muitos por medo de serem qualificados de antissemitas.

Os judeus alemães e a Embaixada do estado sionista já expressaram a sua indignação com a publicação.

Günter Grass é um ativista veterano a favor de causas sociais e crítico habitual das intervenções militares ocidentais como a de Iraque.

No comments yet.

Deixe uma resposta