Mike Leigh une-se ao movimento de boicote a Israel

Mike LeighFonte:sionismo.net

Solidarizando-se com a campanha Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS), a qual propõem um boicote económico e cultural ao estado de Israel, o cineasta judeu britânico Mike Leigh cancelou uma visita programada a Israel, como protesto contra a lei que obriga os não judeus que pretendem cidadania israelita a jurar fidelidade a Israel como “Estado judeu”.
“Esta foi a gota de água”, escreveu Leigh a Renen Schorr, director da Escola de Cinema e Televisão Sam Spiegel de Jerusalém, que o havia convidado, numa carta publicada no site desse Instituto.

«Sempre senti reservas em relação à minha visita, em particular depois do catastrófico ataque da marinha israelita contra a frota humanitária» escreveu o autor de “Segredos e Mentiras”, “O Segredo de Vera Drake” e “Um Dia de Cada Vez”.

«Desde então, a actuação do governo vai de mal a pior, e estou cada vez mais incomodado em relação à visita. Se acontecesse, sem dúvida pareceria que dou um apoio implícito a Israel», explicou Leigh, acrescentando estar consternado com a não renovação da moratória de dez meses à colonização judia na Cisjordânia, que expirou a 26 de Setembro.

“Não tenho outra escolha. Não posso ir, não quero ir e não vou”, conclui o cineasta, realizador e argumentista com seis nomeações ao “Óscar”.

Liberdade para Palestina. Boicote a Israel.A campanha “Boicote, Desinvestimento e Sanções” (BDS) nasceu em Julho de 2005, quando uma coligação de grupos de activistas palestinianos decidiram alertar as “pessoas de consciência de todo o mundo para levar à prática acções de boicote e iniciativas similares às adotadas contra a África do Sul na época do apartheid”.

Cada dia que passa mais pessoas aderem à causa do BDS. A campanha de boicote a Israel recebe apoios inclusive entre os próprios israelitas. Em pleno ataque a Gaza, cerca de 500 israelitas, incluindo dezenas de artistas e intelectuais, enviaram uma carta aos embaixadores estrangeiros em Israel, na qual pediam “a adopção de medidas restritivas e sanções” e frisavam a semelhança com a luta contra o apartheid. “O boicote  contra a África do Sul foi eficaz, mas Israel vem sendo tratada com luvas de seda (…) Este apoio internacional deve cessar”.

Um importante político da África do Sul, Ronnie Kasrils, afirmou que o modelo segregacionista que observou na Cisjordânia e em Gaza é “infinitamente pior que o apartheid”.

O Arcebispo Desmond Tutu fez um chamamento à comunidade internacional para tratar com Israel como tratou com o apartheid na África do Sul, e anunciou publicamente o seu apoio ao movimento BDS.

Boicote a IsraelMais informação sobre o boicote a Israel em: http://electronicintifada.net/bytopic/boycott-divestment-sanctions.shtmlhttp://en.wikipedia.org/wiki/Boycotts_of_Israelhttp://www.islam-shia.org/boycott_israel/Zionist_companies.htm.

, , , , , , , , ,

One Response to Mike Leigh une-se ao movimento de boicote a Israel

  1. Helen 06/12/2010 at 17:52 #

    Beneficial info and you got here! I want to thank you for sharing your ideas and putting the time into the stuff you publish! Great work!
    Palestina Libre!

Deixe uma resposta