O Rev. Stephan Sizer e o Sionismo Cristão.

O Reverendo Dr Stephen Robert Sizer é pastor da Igreja Anglicana em Surrey, Inglaterra. Licenciado em Teologia pelo Trinity College de Bristol e Doutor em Filosofia pelo Oak Hill Theological College e pela Middlesex University, o Dr. Sizer passou muitos anos dedicado ao estudo da teologia, politica e história do Médio Oriente, região à qual viajou com frequência.

É um dos principais especialistas internacionais sobre o sionismo cristão, tendo em 2004 adaptado a sua tese de doutoramento sobre essa temática para um livro: Christian Zionism – Road Map to Armageddon? (Sionismo Cristão – Na rota para o Armagedão).

Stephen Sizer e o sionismo cristão

Stephen Sizer e o sionismo cristão

Publicamos aqui a tradução do índice desse livro, seguida do princípio do primeiro capítulo. No final do artigo publicamos um vídeo de apresentação do livro, pelo autor.

SIONISMO CRISTÃO:  NA ROTA PARA O ARMAGEDÃO

As raízes históricas, a base teológica e as consequências políticas do envolvimento cristão no conflito árabe-israelense.
Pelo Rev. Doutor Stephen R. Sizer

ÍNDICE:

1. As Raízes Históricas do Sionismo Cristão
Introdução …………………………………pg. 05
O Sionismo Cristão Definido …………..pg. 05
A Importância do Movimento ………………..pg. 06
As raízes Britânicas do Sionismo Cristão …..pg. 08
Puritanismo e a Conversão dos Judeus …….pg. 08
O Adventismo e o Fim do Mundo …………….pg. 08
O Dispensacionalismo e a Restauração dos Judeus ……………….pg. 09
John Nelson Darby – O Surgimento do Dispensacionalismo ……pg. 10
Lord Shafterbury e o Restauracionismo ………………………pg. 11
O Apoio Político Britânico ao Sionismo Judaico ……………pg. 13
A Declaração de Balfour e o Sionismo …………………………pg. 14
Dispensacionalismo nos Estados Unidos (1859-1945) ……pg. 16
William Blackstone Promove o Sionismo (1841-1935) …..pg. 17
Cyrus Scofield Canoniza o Sionismo (1843-1921) ………….pg. 19
O Sionismo Evangélico Estadunidense Contemporâneo …pg. 20

2. A Base Teológica do Sionismo Cristão
Uma Hermenêutica Bíblica Ultra-literalista ………………….pg. 25
Os Judeus Continuam sendo o “Povo Escolhido” …………..pg. 32
A Restauração e Ocupação da Terra de Israel ……………….pg. 35
Jerusalém: a Capital Eterna e Exclusiva dos Judeus ……….pg. 37
A Reconstrução do Templo Judaico ……………………………pg. 39
Antipatia para com os Árabes e Palestinos …………………..pg. 41
Ansiosos pela Chegada do Armagedóm ……………………….pg. 42
Conclusões: Uma Teologia do Sionismo Cristão …………….pg. 45

3. A Agenda Política do Sionismo Cristão
O Povo Escolhido: Apoio ao Colonialismo de Israel ……….pg. 47
Defendendo Israel ……………………………………………………pg. 48
O Lobby Israelense no Capitólio …………………………………pg. 48
Turismos de Solidariedade a Israel ……………………………..pg. 50
Restauracionismo: Facilitando o Aliyah da Rússia
e da Europa Oriental …………………………………………………pg. 51
Por Terra e Mar: Da Restauração ao Transporte …………………pg. 51
Eretz Israel: Sustentando os Assentamentos na Cisjordânia …pg. 52
Justificando a Eretz Israel ……………………………………………..pg. 52
Adotando os Assentamentos ………………………………………….pg. 52
Financiando os Colonos …………………………………………………………..pg. 53
Jerusalém: Fazendo Lobby para o Reconhecimento Internacional ….pg. 54
O Templo: Identificação com o Sionismo Religioso ……………………….pg. 55
Promovendo o Movimento do Templo da Montanha …………………….pg. 55
Facilitando o Programa de Construção do Templo ………………………..pg. 56
O Futuro: Opondo-se à Paz e Apressando o Armagedóm . ……………….pg. 57
A Aliança EUA-Israel ……………………………………………………………….pg. 57
Antipatia para com Árabes ………………………………………………………..pg. 58
Justificando a Limpeza Étnica da Palestina ……………………………………pg. 59
Demonizando o Islã …………………………………………………………………..pg. 60
Opondo-se ao Processo de Paz …………………………………………………….pg. 61
Forçando a Mão de Deus …………………………………………………………….pg. 61
Conclusões ………………………………………………………………………………pg. 62
Sobre o Autor …………………………………………………………………………..pg. 64

 

“Somente uma nação, Israel, está entre … a agressão terrorista e o completo declínio dos Estados Unidos como uma potência democrática mundial…. Se Israel cair, os Estados Unidos podem deixar de ser uma democracia. … Dinheiro árabe está sendo usado para controlar e influenciar as grandes corporações dos E.U.A., tornando-se economicamente mais e mais difícil para os Estados Unidos permanecer firmes contra o terrorismo mundial “.

Durante os próximos três capítulos, vamos examinar as raízes históricas, a base teológica e as conseqüências políticas do sionismo cristão. Embora muitos não necessariamente se reconheceriam como tal, nem iriam tão longe quanto Mike Evans em suas pretensões, não deixa de ser assumida por uma grande proporção de evangélicos na Grã-Bretanha e nos Estados Unidos que ser bíblico é sinônimo de ser pró-israelense. Dale Crowley, uma emissora com base religiosa de Washington, no entanto, descreve este movimento como o “culto de crescimento mais rápido dos Estados Unidos”: “Não é tão composto de “loucos” tanto como de gente de classe média e média-alta estadunidenses. Eles dão milhões de dólares a cada semana para os evangelistas de televisão que expõem os fundamentos do culto. Eles lêem Hal Lindsey e Tim LaHaye. Eles têm um objetivo: facilitar a mão de Deus para levá-los para o céu livres de todos os problemas, de onde eles assistirão ao Armagedóm e à destruição do planeta Terra.”

O sionismo cristão definido

O sionismo cristão é essencialmente o apoio cristão ao sionismo.

Grace Halsell resume a mensagem do cristão sionista desta maneira: “todos os atos tomados por Israel são orquestrados por Deus, e devem ser tolerados, apoiados, e até mesmo elogiados pelo resto de nós.” Conscientemente ou não, os sionistas cristãos se alinham a uma agenda religiosa judaica melhor expressa pelo rabino Shlomo Aviner, que alega: “Não devemos nos esquecer … que o objetivo supremo da reunião dos exilados e o estabelecimento de nosso Estado é a construção do Templo. O templo está no topo da pirâmide.” Outro rabino, Yisrael Meida, explica a ligação entre a política e a teologia no sionismo judeu: „É tudo uma questão de soberania. Aquele que controla o Monte do Templo, controla Jerusalém. E quem controla Jerusalém, controla a terra de Israel.?

Este paradigma pode ser ilustrado por meio de três anéis concêntricos. A terra representa o anel externo, Jerusalém, o anel do meio e o do Templo é o anel central. Os três anéis compõem a agenda sionista através da qual a terra foi reivindicada em 1948, a Cidade Velha de Jerusalém foi ocupada em 1967 e o local do Templo ainda está sendo contestado. Para o religioso sionista, judeu ou cristão, os três são indissociáveis. A visão sionista cristã, portanto, é a de trabalhar para ver todos os três sob o controle exclusivo judaico pois isto levará a bênção para o mundo inteiro uma vez que as nações reconhecem e respondem ao que se vê a Deus fazer em e através de Israel.

A importância do movimento.

O sionismo cristão como movimento é muito diversificado, indo de líderes cristãos individuais cujas denominações não têm nenhuma posição declarada sobre o sionismo, às grandes organizações evangélicas internacionais que são assumidamente sionistas. Algumas têm uma agenda política explícita, como “Pontes para a Paz” e a “Embaixada Cristã Internacional, Jerusalém”, que também goza de estatuto diplomático em vários países da América Central. Ambos repudiaram ou redefiniram o evangelismo e se identificam com a opinião política de extrema-direita israelense, fazendo lobby junto ao governo dos E.U.A. para que continue financiando a agenda expansionista de Israel. Outras organizações, como “Os Judeus para Jesus”, são essencialmente evangelísticas ou messiânicas, mas também adotam o sionismo por razões bíblicas. “Exobus” e o “Ebenezer Trust”, por exemplo, são representativas de organizações menores especializadas em facilitar o transporte de judeus para Israel da Rússia e da Europa Oriental, enquanto “Cristãos Amigos das Comunidades de Israel incentivam as igrejas a adotar assentamento judaicos nos territórios ocupados.”

Líderes cristãos sionistas contemporâneos incluem Jerry Falwell, Pat Robertson, Hal Lindsey, Mike Evans, Charles Dyer, John Walvoord e Dave Hunt. Eles alcançaram influência considerável em popularizar uma escatologia premileniar, apocalíptica e em grande medida dispensacionalista, que legitima o sionismo entre os cristãos ocidentais.

Que a sua pregação também receba a descrição de “Teologia do Armagedóm” é evidente em função dos títulos provocativos de muitos de seus livros mais recentes.10

O sionismo cristão dispensacionalista, que é a forma dominante, com a sua pregação sobre o Arrebatamento da Igreja, a reconstrução do Templo e da iminente batalha de Armagedóm, tem forte penetração entre as principais denominações evangélicas, carismáticas e independentes, incluindo as Assembléias de Deus, Pentecostais e Batistas do Sul, assim como muitas das mega-igrejas independentes. Crowley alega que elas são lideradas por 80.000 pastores fundamentalistas, seus pontos de vista são disseminados por 1.000 estações de rádio cristãs, bem como 100 canais de televisão cristãos.11 Doug Kreiger lista mais de 250 organizações pró-Israel fundadas somente na década de 1980.12

As estimativas quanto ao tamanho do movimento como um todo variam consideravelmente. Enquanto os críticos, como Crowley, alegam que, “Pelo menos um entre cada 10 norte-americanos é um devoto”, os partidários, como Falwell e Robertson reivindicam ter o apoio de 100 milhões de estadunidenses, com quem eles se comunicam semanalmente.13 A estimativa do próprio Dale Crowley é de que há entre “25 a 30 milhões de cristãos pró-Israel nos Estados Unidos, um número que está em crescimento”.14 Robert Boston, por exemplo, argumenta que a Coalizão Cristã, de Pat Robertson, com um orçamento anual de $ 25 milhões e mais de 1,7 milhões de membros, é “indiscutivelmente … a organização individual mais influente na política dos E.U.A.”.15

Da mesma forma, a Coligação para a Unidade Nacional por Israel, que reúne 200 diferentes organizações sionistas, judaicas e cristãs, incluindo a Embaixada Cristã Internacional, Cristãos Amigos de Israel e Pontes para a Paz, afirma ter uma base de apoio de 40 milhões de membros ativos.(16) Estas organizações compõem uma ampla coligação que está moldando não apenas a agenda sionista cristã, mas também a política externa dos E.U.A. no Oriente Médio de hoje.

Então, de onde vem o sionismo cristão? Este primeiro capítulo focalizará o desenvolvimento histórico do movimento desde os seus pequenos inícios na Inglaterra rural do século 19 até sua base de poder no Capitol Hill do século 21. No segundo capítulo, vamos considerar o caso bíblico para o sionismo cristão e, em seguida, no terceiro, vamos analisar a sua agenda política.”

Apresentação do livro “Christian Zionism. Road-map to armageddon?”, pelo autor Rev. Dr. Stephen Sizer, da Igreja Anglicana:

 

, ,

8 Responses to O Rev. Stephan Sizer e o Sionismo Cristão.

  1. Miguel Nuno Gonçalves 27/01/2011 at 03:17 #

    Então o sionismo não é um assunto exclusivo dos judeus?

    • os editores 27/01/2011 at 03:34 #

      É verdade, Miguel. Pode-se ser sionista sem ser judeu, como pode comprovar seguindo as pistas do Rev. Sizer. E repare que se refere a sionistas extremistas, perigosos radicais, incitadores do ódio e violência mais ignóbil.
      Também, como assinalamos em diversos artigos publicados, muitos judeus, praticantes ou não do judaísmo, são profundamente anti-sionistas. O sionismo é contrário aos princípios da religião judaica, e também contrária aos princípios de paz, solidariedade e direitos humanos, tendo sido por diversas vezes criticada pelas Nações Unidas, pelo que em todo o mundo, incluindo Israel, existe uma voz judaica anti-sionista muito activa.
      Visite a maior parte dos links a sites por nós sugeridos, e poderá constatar o que queremos dizer.
      Shalom, Salam, Paz.

  2. adriano 08/02/2011 at 07:08 #

    Gostaria de saber se ja há o livro traduzido para o portugues. Onde posso adquiri-lo.

    • os editores 17/02/2011 at 07:56 #

      Creio que não existe ainda tradução ao português. O original em inglês pode ser adquirido online através do site da Amazon, por exemplo.
      Abraço.

  3. AILTON 13/06/2011 at 00:44 #

    Shalom!
    é pena não termos o livro nem artigo pdf do livro.
    mas graças a Deus o video :
    http://www.youtube.com/watch?v=YPPrk27Fhtc

    é uma revelação para os cristãos e para os amantes de historias sobre Israel.

    abço.

  4. Jair de Souza 12/10/2012 at 23:07 #

    Estimados amigos, ao pesquisar alguns pontos na Internet, deparei-me com seu portal, o qual fazia menção de uma obra do Rev. Stephen Sizer (Christian Zionists – The road to Armaggedom), a qual eu tive a satisfação de fazer a tradução ao português. Sei que ele disponibiliza em seu portal (sizers.org) abertamente o primeiro capítulo desta tradução. Gostaria de informar-lhe que o livro em sua versão em português pode ser baixado por completo da Internet através do seguinte link: http://archive.org/download/SionistasCristaosNaRotaDoArmagedom-StephenSizer/StephenSizer-SionistasCristaos-NaRotaDoArmagedm.pdf
    Como pude observar que há leitores de seu blog interessados nesta leitura, creio que esta possibilidade de acesso direto ao trabalho será de ajuda. Além desta tradução, tenho vários outros vídeos interessantes sobre a questão do sionismo publicados em meu canal do Youtube (www.youtube.com/user/josespa1), tais como Com Deus de nosso lado (With God on our side) e vários outros que abordam o sionismo pelo lado histórico e político.

    Espero ter contribuído com algo de útil.

    Atenciosamente
    Jair de Souza

    (Texto de Email recebido em 22 abril 2012)

    • admin 12/10/2012 at 23:13 #

      Obrigado pela informação, Jair de Souza.
      Abraço.

  5. Pompilio 25/04/2014 at 04:56 #

    Esta obra literária pode ser muito útil, para desmitificar as idiotices anunciadas nos púlpitos, principalmente aqui no Brasil, onde qualquer um que se intitula profeta, sem conhecimento algum sobre história e realidade dos fatos, apregoa que todos os atos que Israel comete são desígnios de Deus.

    Estes incautos que pregam para inúmeros alienados, desconhecem as barbáries cometidas na Palestina, um verdadeiro genocídio sob as barbas da ONU, EUA e demias marionetes do sitema sionista.

    Deus firmou um pacto com Abrãao, o qual deu origem ao povo hebreu, porém, assim como nem tudo o que brilha é ouro, não se pode incluir o sionismo neste acordo, uma vez que, suas práticas são abomináveis, estão em desacordo com os própósitos e principios de Deus, como também, dos ensinamentos de Jesus
    .
    Dentro deste contexto, os “crentes” alienados entendem que tudo é benção, Israel pode exterminar os palestinos, incitar os EUA a invadir o Iraque, Líbia e a Síria…. ops, na Síria eles se deram mal, esqueceram que tem alguém que eles não dominam [Russia], assim tiveram que correr sob a ameaça de serem varridos do mapa, em meio dia somente…hahahahah;

    Assim sendo incautos crentes, não confundam povo de Deus com sionistas, pois como Paulo já ensinou, NÃO há mais grego nem judeu ou romano, antes, todos são de Cristo e Cristo é nosso.

    Paz em Jerusalem e sobre o verdadeiro povo de Deus!

Deixe uma resposta