Tag Archives | Palestina

Palestinos e judeus na História. As boas relações históricas dos muçulmanos com as comunidades judaicas

Excetuando a presente época,  as relações entre o mundo árabe e muçulmano e as comunidades judaicas sempre foram muito boas. Nunca existiu qualquer espécie de discriminação nem desrespeito pelos direitos humanos. Pelo contrário, os judeus sempre foram bem-vindos nos momentos de adversidade e protegidos durante o apogeu árabe, onde se desenvolveram conjuntamente.  

Veja-se, por exemplo, o notável nível de desenvolvimento da comunidade judaica em Espanha e Portugal durante a época de domínio muçulmano do Al-Andalus (Sefarad), A sua expulsão pelos Reis Católicos em 1492 e consequente acolhimento benevolente e amistoso no Califato Otomano (muçulmano).

Judeus sefarditas

Judeus sefarditas

Continue Reading →

Philip Weiss entrevista Shlomo Sand sobre “A Invenção da Terra de Israel”

Shlomo Sand, Sionismo, pós-Sionismo e a “Solução dos Dois Estados”.

Tradução da entrevista realizada telefonicamente ao professor Doutor Shlomo Sand, em 8 de dezembro de 2012, pelo jornalista, analista e escritor Philip Weiss.

Quais as diferenças nos objetivos entre o seu primeiro livro e o segundo?

Escrevi o segundo livro porque uma das principais críticas que me fizeram após a publicação do primeiro livro foi que eu não tinha explicado a relação e afinidade entre os judeus e a Terra Santa. Foi porque as pessoas me pediram que eu decidi escrever sobre a relação metafísica entre os judeus e a Terra Santa. Sempre ressaltei que esse relacionamento não é marginal à história dos judeus. Sou consciente da sua importância. Também sabia que era uma questão distinta do sionismo. Não podemos entender o judaísmo sem estudar essa relação com a Terra Santa, mas o sionismo trouxe uma relação nova e diferente com a terra. Continue Reading →

Jerusalém.

Verifico que sempre existiu um enorme desconhecimento sobre a história da Palestina, especialmente sobre a cidade de Jerusalém.

Seguem algumas aclarações:

1- Jerusalém não foi fundada pelos israelitas, nem por judeus, mas sim por Jebuseus, um dos povos cananeus que constituem a estirpe palestina, faz 4200 anos. O Rei David conquistou-a 1200 anos depois.

Jerusalém - Cúpula do Rochedo

2- Jerusalém como  capital de Israel só existiu 70 anos em 4200 anos de História da Terra Santa, até o estabelecimento do moderno Estado de Israel, fundado em 1948. Jerusalém não é a capital histórica de Israel. Continue Reading →

Surgimento e formação do sionismo (1ª parte):

Sionismo: Cultura e Política.

Semanticamente, sionismo refere-se a dois aspectos: o político e o cultural. A cultura sionista surgiu antes da invasão israelense da Palestina. Este tipo de sionismo contradiz a imigração judaica para Palestina, bem como a fundação de Israel.

O sionismo, como movimento político, surgiu e desenvolveu-se após a Segunda Guerra Mundial. A atividade dos dirigentes deste movimento intensificou-se na última década del siglo XIX. No início da Primeira Guerra Mundial e depois da redação da “Declaração Balfour”, em novembro de 1917, o Reino Unido estabeleceu uma pátria para os sionistas.

As reivindicações judaicas de formar um estado judaico na Palestina baseiam-se  numa promessa divina de retorno à Terra Prometida. Herzl, fundador do sionismo político, considera tal promessa como um esforço para alcançar os objetivos do sionismo e uma vocação profética. Em 1897, no Congresso Sionista em Suíça, os estados ocidentais enfatizaram o direito histórico dos judeus colonizarem a terra prometida, para que a promessa divina se cumpra. Continue Reading →

Genocídio em Palestina: Comité Internacional de Direitos Humanos Islâmicos acusa Israel de procurar o extermínio de Gaza

O Comité Internacional de Direitos Humanos Islâmicos “Faisal Sergio Tapia”, denuncia perante a comunidade internacional que Israel planeia y executar um novo plano de extermínio contra a Faixa de Gaza, como em 2009, um novo Genocídio Palestino, massacrando crianças e mulheres, violando os direitos humanos da nação palestina, usurpada e ocupada pelo exército de ocupação israelense (pt, israelita).

Como na Operação Chumbo Fundido de 2009, o estado sionista planeia um novo genocídio na Faixa de Gaza.

O governo israelense (pt, israelita), conjuntamente com o seu exército de ocupação, manifestaram mais de uma vez o desejo de exterminar a Faixa de Gaza e realizar uma operação de maior envergadura que a criminosa Operação Chumbo Fundido, que não deixa dúvidas sobre a intencionalidade dos ataques;  sistematicamente bombardeiam casas, hospitais, automóveis civis com a evidente intenção de matar o maior número possível de civis. Todos os atos evidenciam, pela sua coordenação, constância e continuidade, que a população civil é o objetivo militar dos ataques israelenses sobre a Faixa de Gaza, um genocídio premeditado. Continue Reading →

Amnistia Internacional: Israel deslocará 2.300 palestinianos para um aterro sanitário em Jerusalém.

Israel obrigará cerca de 2.300 beduínos residentes na Cisjordânia a deslocarem-se para uma zona junto da lixeira municipal de Jerusalém, no âmbito de planos militares promovidos pelo Ministério da Defesa do governo sionista, que foi hoje denunciado pela Amnistia Internacional. 

A referida organização de direitos humanos publicou um relatório em que pede ao ministro da Defesa, Ehud Barak, que detenha os referidos planos, que também incluem demolições de 20 comunidades, que afetarão casas, cozinhas, retretes públicas, cobertas para animais e duas escolas primárias.  Continue Reading →

Soldados israelenses passam tractor sobre as pernas de um trabalhador para impedirem os palestinos de construírem nas suas terras (ocupadas).

Hoje é Sabbath e eu rezo com todo o meu coração para que os sionistas norte-americanos vejam estas fotografias denunciando o comportamento de soldados israelenses e me digam como uma ideologia de separativismo judaico que tem privado a milhões de palestinos (pt. palestinianos) dos seus direitos pode ser justificada nos dias de hoje.

Dois dias atrás, um bravo e nobre palestino (pt. palestiniano), abaixo fotografado, estava construindo uma casa na Cisjordânia ocupada, quando foi informado por soldados israelenses (pt, israelitas) que não podia construir nas suas terras. Isto ocorreu na vila de al-Dirat, perto de Hebron – Área C, sob controle de Israel. 

O homem recusou-se a mover e os soldados israelenses passaram um tractor por cima das suas pernas. Foi utilizado um tractor palestino (pt, palestiniano) apreendido pelo exército sionista. Continue Reading →

Apartheid: leis racistas e discriminatórias do estado sionista de Israel afetam a um número cada vez maior de famílias palestinas.

Mesmo que por um momento nos esquecesse-mos da ocupação do território da Palestina por parte de Israel, teríamos razões de sobra para acusar esse país de instaurar um regime de apartheid dentro das suas próprias ‘fronteiras’ (entendendo por estas a Linha Verde do Armistício de 1949, com toda a controvérsia que desperta, mas que é o consenso alcançado até agora pela comunidade internacional sobre um país criado faz 64 anos que continua recusando definir suas fronteiras definitivas, porque pretende apropriar-se da totalidade da Palestina histórica).

Por mais esforços e iniciativas empreendidos, resulta sempre insuficiente dar conta de tudo o que implica quando um Estado define oficialmente seu carácter ou natureza em função dum critério étnico-religioso exclusivo.

É isso o Estado de Israel: um Estado baseado sobre a premissa da superioridade judaica sobre todos os outros grupos étnicos, religiosos ou nacionais existentes no mundo. Continue Reading →

Presidente do Irã, Ahmadineyad: Palestina é tema primordial no mundo.

O presidente da República Islâmica do Irã (pt. Irão) declarou esta semana que o processo de judeização de al-Quds (Jerusalém oriental), lançado pelo regime sionista de Israel, demonstra a contínua política expansionista deste regime para dominar a região  .  

Ahmadineyad, durante um encontro realizado em Teerã (pt. Teerão), capital iraniana, com o presidente do Grupo Parlamentário de Amizade Turquia-Palestina, Murad Yildirim, realçou que os imperialistas tentam afastar a “sagrada al-Quds” da sua identidade islâmica.   Continue Reading →

Mohamed Bakri, realizador de “Jenin, Jenin”: o cineasta palestiniano que queria ser Gandhi.

Mohamed Bakri, realizador de “Jenin, Jenin é um dos actores palestinianos (br. palestinos) mais famosos em todo o mundo e um dos cineasta mais comprometidos da Palestina, país onde vive apesar das inumeráveis ofertas que tem recebido para fazer cinema nos EUA.

Nasceu na pequena aldeia de Bina, na Galileia, e fez o secundário em Akko, antes de matricular-se na Universidade de Telavive para estudar Arte Dramática. Acabava de participar em “La Masseria Delle Allodole“, que se estrearia em 2007, quando me concedeu a entrevista. Participou em filmes da indústria cinematográfica comercial norte americana, trabalhando com atores como Tony Curtis (“The Mummy Lives“) ou Antonio Banderas (“The Body“). Continue Reading →

Conflito em Israel: Reino Unido, França, Alemanha e Portugal condenam as colônias israelenses na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental.

O Reino Unido, França, Alemanha e Portugal – os membros da União Europeia dos 15 lugares do Conselho de Segurança da ONU (Alemanha e Portugal são membros rotativos, o Reino Unido e a França são membros permanentes) apresentaram hoje (20 de dezembro de 2011) uma declaração conjunta sobre o conflito em Israel exigindo que este país pare com a construção de colônias em Jerusalém Oriental e na Cisjordânia.

Continue Reading →

Os Republicanos querem Jerusalém? Herzl prometeu ao Papa, ao Kaiser e ao Sultão deixá-la fora do Estado judaico.

Os candidatos republicanos às eleições presidenciais dos EUA têm prometido, um após o outro, mover a embaixada norte-americana em Israel para Jerusalém, e o primeiro-ministro direitista de Israel, Netanyahu, declarou Jerusalém como capital eterna e indivisível do estado judaico. 

Israel ocupou Jerusalém Oriental em 1967 e anexou-a em 1970. O mundo recusa-se a reconhecer a anexação. Entretanto, Israel promove escavações nos bairros da Cidade Velha para encontrar moedas que demonstrem a presença judaica em tempos antigos – que justifiquem a expulsão de mais palestinianos (br. palestinos) das suas casas.
Todos os planos e projectos internacionais indicam Jerusalém como uma cidade internacional. 
 
Tal como eu assinalei anteriormente, o jornalista e dramaturgo húngaro-austríaco Theodor Herzl (1860-1904), fundador do sionismo político, prometeu a diversos líderes mundiais que Jerusalém seria internacionalizada, no caso dos judeus possuírem a Palestina.

Nos últimos cinco anos da sua vida, Herzl passou pelos escritórios dos homens mais poderosos da Europa, prometendo a extraterritorialidade de Jerusalém.
 
Reli os seus diários e aqui publico estes dez excertos, todos contendo essa promessa, de uma forma explícita e/ou implicita: Continue Reading →

Holocausto: imprescritibilidade. Porque Israel ganha a guerra.

Ainda sobre o Holocausto:

Nos anos vinte e trinta do século passado, a típica agudeza britânica para a frase assegurava que a Primeira Guerra Mundial se tinha ganhado mais nos campos de jogo de Eton que nas trincheiras de Flandres. Israel, embora de maneira muito mais prosaica, também trabalha para ganhar antes, durante e depois da batalha o pugilato pela opinião do mundo ocidental. Um exemplo é a Escola Internacional para o Estudo do Holocausto, que incansavelmente convida jornalistas, académicos e docentes, sobretudo europeus, para que ninguém se atreva a esquecer.

A iniciativa, uma entre muitas e oferecida por excelentes especialistas, é a ponta do icebergue de uma indústria, cujo instrumento é a memória e a matéria-prima a dor que fomenta a compaixão e a formação de um sentimento favorável às vítimas e ao  Estado que melhor as representa. Continue Reading →

“A invenção do povo judeu”, de Shlomo Sand.

“A invenção do povo judeu”: Uma religião proselitista.

O mito fundamental do sionismo é o retorno do povo judeu à sua terra. Segundo esse mito, o povo israelita soberano foi conquistado, exilado e espalhado pelo mundo, mantendo-se marginalizado e unido, inspirada pela lembrança da sua antiga soberania. No final do século XIX, o povo judeu iniciou o seu retorno, que culminou na dramática criação do Estado de Israel em 1948, cumprindo um desejo com dois milénios de antiguidade. O historiador da Universidade de Telavive, Shlomo Sand, no seu notável livro “A invenção do povo judeu”, explora o trabalho académico passado, para refutar a historiografia sionista, ressaltando o seu caráter mitológico e em vez disso nos conta a história de uma minoria religiosa e do seu credo oscilando entre o proselitismo e a conversão, sujeita às mesmas forças sociais que afectam qualquer outra minoria religiosa. Continue Reading →

Holocausto, um típico mito sionista

Autor: Dr. Abdullah Mohammad Sindi, Ph.D. International Relations

1. Introdução

A palavra “holocausto” significa uma extensa destruição de seres humanos por outros humanos, resultando numa massiva perda de vidas, especialmente pelo fogo. No entanto, o chamado “holocausto” pela Alemanha nazi contra os judeus é baseada em duas grandes mentiras.

A primeira mentira afirma que os nazis mataram “seis milhões” de judeus. Esse número é extremamente exagerado, sendo portanto uma mentira (veja abaixo algumas estimativas razoáveis ??e imparciais).

A segunda mentira, diz que esses “seis milhões” foram presos e, em seguida, “gaseados” ou “queimados” vivos . Novamente, isso é uma mentira, porque não existe prova alguma de que algum judeu vivo tenha sido “gaseado” ou “queimado” em qualquer “câmaras de gás” ou “crematório” na Alemanha nazi. Continue Reading →

Mentiras sionistas

Antes de mais é importante aclarar que sou filho de palestiniano,  portanto, meio-semita de segunda geração. De qualquer forma, mais semita que os filhos de polacos, argentinos, russos ou etíopes emigrados a Israel. Desta forma espero estar isento da omnipresente acusação de “antisemita” a todo aquele que ouse criticar aos israelitas ou sionistas judeus.

É verdadeiramente curioso como qualquer sionista de certa relevância (político ou não) baseia as suas opiniões e argumentos em mentiras e propaganda. Faz já um século… uma das grandes mentiras sionistas, que levou a muitos europeus de religião judaica a emigrar a Palestina, que dizia que Palestina era “uma terra sem povo para um povo sem terra”, ocultando que nessa região havia mais habitantes por quilómetro quadrado que em Argentina ou nos Estados Unidos naquela época. Continue Reading →

Carta aberta de Silvio Tendler ao governo sionista de Israel.

silvio tendlerPara além da intenção de apresentação, divulgação e denúncia do sionismo ao público de língua portuguesa, também é nossa prioridade, tal como expresso no manifesto editorial, dar voz a personalidades judias anti-sionistas.

Após o ataque realizado pela Armada israelita à frota humanitária que em Maio de 2010 pretendia romper o bloqueio a Gaza, de que resultou o assassinato de nove activistas pacifistas e numerosos feridos,  o historiador e cineasta judeu brasileiro Sivio Tendler escreveu a seguinte carta aberta ao governo de Israel:

Continue Reading →

Vladimir Jabotinsky e o Fascismo Judeu.

vladimir jabotinsky em uniforme fascistaVladimir Jabotinsky foi um dos líderes sionistas mais brilhantes e fanáticos da historia. Inimigo mortal do socialismo, foi o seu crítico mais feroz quando o sionismo social-democrata conquistou a hegemonia do sionismo mundial…Pode-se ser judeu e fascista? Um recorrido rápido pela agitada vida do ucraniano Vladimir Jabotinsky, nascido em Odessa em 1880 e falecido em Nova Iorque em 1940, talvez responda a esta pergunta. Jornalista, escritor, orador, poliglota, soldado e dirigente político, também foi, dependendo de por onde se olhe, combatente pela pátria ou terrorista. Continue Reading →

Citações sionistas (parte 1).

 

Ze'ev Vladimir Jabotinsky

Ze'ev Vladimir Jabotinsky

 

Trechos do livro “A muralha de ferro” de 1926 escrito pelo lider sionista Vladimir Jabotinsky, em 1926, 22 anos antes da invasão sionista de 48 que fundou o estado de Israel:

“Não cabe pensar em uma reconciliação voluntária entre nós e os árabes, nem agora nem num futuro previsível, Todas as pessoas bem intencionadas, salvo os cegos de nascimento, compreenderam há muito a completa impossibilidade de se chegar a um acordo voluntário com os árabes da Palestina para transformar a Palestina de país árabe em um país de maioria judia. (…) Tente achar ao menos um exemplo de colonização de um país que aconteceu com o acordo da população nativa. Tal coisa nunca ocorreu. Continue Reading →

Propaganda sionista

corte de oliveiras em Palestina.Aqueles que já têm uma certa idade recordam-se da propaganda sionista dos anos sessenta e setenta que dizia que os colonos sionistas na Palestina transformaram o deserto num pomar. Pois este argumento se utilizava para justificar para a ideia de uma terra sem povo para um povo sem terra, isto foi claramente debatido como sendo a realidade e pouco a pouco transformou-se no argumento para a usurpação e ocupação do território de Palestina. Os árabes e os palestinianos demonstraram ao mundo a pura realidade da ocupação e a quantidade de refugiados que originou tal acção sionista (ver video). Continue Reading →

O navio Mavi Marmara chegou hoje ao porto de Istambul.

mavi marmara Dezembro 2010 IstambulFonte: sionismo.net

Milhares de pessoas, incluindo os editores de sionismo.net,  receberam hoje, em Istambul, o navio Mavi Marmara da frota humanitária atacada por Israel no passado 31 de Maio, donde resultou a morte de nove activistas turcos. Continue Reading →

As mentiras de Israel, por Henry Siegman

Henry SiegmanNeste post damos a palavra a uma eminente personalidade anti-sionista, o prof. Henry Siegman, judeu norte-americano nascido em Alemanha.

O artigo cuja tradução publicamos, foi escrito a 15 de Janeiro de 2009 por Henry Siegman, professor convidado na Escola de Estudos Orientais e Africanos (SOAS) da Universidade de Londres, director nacional do Congresso Americano – Judaico, do Conselho de Sinagogas da América e director do Projecto Americano para o Médio Oriente em Nova Iorque.
O artigo, no original Israel’s Lies, publicado no magazine literário London Review of Books, Vol. 31 nº2, 29 de Janeiro de 2009, apresenta uma série de provas e evidências sobre a sistemática falsificação dos factos por parte de Israel, com a cumplicidade do governo dos EUA e  jamais questionada pelos meios de comunicação oficiais.

Continue Reading →

Mike Leigh une-se ao movimento de boicote a Israel

Mike LeighFonte:sionismo.net

Solidarizando-se com a campanha Boicote, Desinvestimento e Sanções (BDS), a qual propõem um boicote económico e cultural ao estado de Israel, o cineasta judeu britânico Mike Leigh cancelou uma visita programada a Israel, como protesto contra a lei que obriga os não judeus que pretendem cidadania israelita a jurar fidelidade a Israel como “Estado judeu”.
“Esta foi a gota de água”, escreveu Leigh a Renen Schorr, director da Escola de Cinema e Televisão Sam Spiegel de Jerusalém, que o havia convidado, numa carta publicada no site desse Instituto. Continue Reading →